Seguidores

quinta-feira, 24 de março de 2011

Dia de...

  Olá amigos.


 Na revista Veja do dia 16 de março, lí o artigo de Lia Luft e gostei muito. Por isto vou  transcrever o trecho inicial que diz tudo.


 Dia da pessoa.

"A controvérsia persiste quanto a datas especiais.
Dia da Criança, do Índio, do  Negro, da Mulher, da Avó, do Médico e daí por diante. Já que as datas existem, a gente pode tirar algum proveito disso:não se aborrecer, não criticar, não ficar chato, mas usar para alguma coisa positiva. Digamos, para se abraçar o pai  para quem não se olhava direito fazia algum tempo, telefonar para avó, cuidar de seus preconceitos raciais,arrumar o mal-estar com a sogra, sei lá. Mesmo o Natal é objeto de rabugice, comercializado demais.Ele não precisa ser um evento comercial, mas de reunião com pessoas queridas. Novo ano pode não ser de culpa ou revisão amargurada dos propósitos não cumpridos, nem lista de novos propósitos impossíveis. Pode ser só hora de pensar melhor no que se deseja, no que se gosta,no que se pode ou se poderia fazer de bom.
 Enfim, cada um pode pintar e bordar em cima de datas estabelecidas, para que não se tornem o avesso do que se pretendia que fossem, mas que nos deem alegria. Pois de alegria estamos carentes, no meio de tanta agitação."
"Então, quem sabe a gente não unifica tudo isso, e inventa o dia da pessoa?"

Pois é amigos, eu concordo com A Lya plenamente.
Sempre digo a meus filhos, que me visitem somente quando realmente estiverem com vontade, não por conta de datas e serão recebidos como se  fosse meu aniversário , natal ou qualquer data, com alegria e mesa de festa.
Somos todos irmãos e acho que devemos viver como tal, sem a preocupação de prestarmos  homenagem a torto e a direito.

Lulú, 24 de março de 2011. 

8 comentários:

  1. Concordo.
    Mas mesmo sendo muito comercial, há datas que não gostaria nunca de passar sozinha, como o Natal, Ano Novo, Páscoa.
    Xeros

    ResponderExcluir
  2. Oi Lulú...
    amei a ideia, o dia da pessoa!
    concordo com você sobre a "desobrigação" de visitar ou "lembrar" da pessoa só nos dias especiais.
    pessoas bacanas não precisam de datas especificas para serem lembrados.né.
    beijos pra você.
    estava com saudade daqui,rsr

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem simples,tudo natural...como diz a música.Concordo com Lya,nada de obrigações,gosto das surpresas boas,elas falam por si e dizem o que o coração está pedindo.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Super certo!
    Sabe Lulu minha familia não é tão grande somos em tres filhos, mãezinha (88 anos) genros, nora, e netos ,netos casados e bisnetos...ao todo 23 pessoas. E resolvemos não ficar esperando por datas comemorativas, marcamos um dia em que todos possam vir e a festa já está pronta, leitoa, peru,frango, ou ovo frito, o que der pra fazer já é uma festa.
    Viajamos juntos ( todos) e aproveitamos sempre para estarmos juntos. Na semana que vem mesmo fechamos uma pousada, vamos todos para Carmo do Rio Claro...é isso aí, sem datas especiais, sem comercio...fazemos as nossos dias juntos se tornarem especiais...por isso gostei tanto deste texto.
    bjs
    Tina (SONHAR E REALIZAR)

    ResponderExcluir
  5. olá, da uma espiada no meu post com ideia para o lavatorio da Tina do SONHAR E REALIZAR:
    http://anacristinap.blogspot.com
    brigada, bjo

    ResponderExcluir
  6. Concordo, que devemos fazer somente aquilo que nos agrada e sempre dar a melhor acolhida, pois nunca saberemos o dia do amnhã,sempre vai ser diferente...bjo

    ResponderExcluir
  7. Pois é meninas, temos que homenagear as pessoas que nos são caras, ao nosso modo e quando tivermos vontade ou quando houver oportunidade.

    Beijo para todas.
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderExcluir